15/10/2015 às 18h22min - Atualizada em 15/10/2015 às 18h22min

Sede de notícia

Não é a toa que a imprensa (séria e imparcial) é chamada de Quarto Poder, uma expressão positiva que coloca a mídia ao lado dos três poderes constituídos, nomeados no estado democrático, Legislativo, Executivo e Judiciário. O papel da mídia é investigar, apurar, denunciar e levar, de forma imparcial, ao conhecimento da população, os mais diversificados fatos, inclusive atos ilegais e ilícitos, corruptos e incorretos, em diversos setores, principalmente Político

O Jornal de Bragança e Região carrega o título de Quarto Poder com muita responsabilidade seguindo fielmente a sua missão de informar sem julgar, de relatar sem promover.

Na edição de setembro, o Jornal de Bragança e Região publicou com exclusividade o “Caso do Fórum” de Atibaia e para a surpresa de sua equipe, houve uma busca frenética pelos exemplares nas bancas. Três grupos distintos buscavam a notícia.

Segundo os donos de bancas, um grupo era formado por aliados do prefeito Saulo (PSB), que compraram o maior número possível de exemplares. Não se sabe ao certo para fazer o que, mas talvez para censurar a notícia. O segundo grupo era de oposição a Saulo, que com a mesma sede, buscava exemplares para propagar a notícia. O terceiro grupo, era formado por leitores também sedentos pela notícia, já que o Jornal de Bragança e Região o publicou com exclusividade o fato.

Resultado? Os exemplares esgotaram no mesmo dia que chegaram às bancas.

Mas entraram em cena a tecnologia e os internautas. Não demorou, o Jornal de Bragança e Região “caiu na rede” e contrariando o desejo de “meia dúzia” que, possivelmente, visava cercear  a notícia, ela se espalhou rapidamente, cumprindo o seu papel de Quarto Poder e saciando a sede de notícia.

“Toda censura é censurável. Jornalismo independente é aquele que expressa sua opinião livre de qualquer pressão.”                                                                                                                                                              (Julio de Mesquita Neto)


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »