18/11/2021 às 18h40min - Atualizada em 18/11/2021 às 18h40min

Nova eleição municipal em Vargem será em dezembro

Mais de 2.500 eleitores não poderão votar

JBR


Está marcada para o  próximo dia 5 de dezembro uma nova eleição municipal na cidade de Vargem, quando será definido nas urnas eletrônicas, quem será o novo prefeito e vice. Das três chapas, duas estão deferidas, sendo a dos seguintes candidatos:

Leodécio Alves de Lima  (PDT), que é o prefeito interino, tendo como candidata a vice, a presidente da Câmara, Denise Rodrigues (DEM) e Moacir Barbosa de Araújo Junior, o Juninho (PSD), que tem como candidato a vice, Elvis Rossi (PSD).

Impugnação
A chapa de José Airton Tavella e Ângela Maria Tavella (PL), candidatos a prefeito e vice, respectivamente, foi impugnada devido à perda do prazo de registro. Eles estão recorrendo.

Eleitores
De acordo com o chefe do 298° Cartório Eleitoral, Glauco Tristini, quem não fez a revisão biométrica dentro do prazo, não poderá votar. “Nós tivemos uma revisão biométrica em 2019, e várias pessoas não compareceram. Na eleição municipal do ano passado, 2020, excepcionalmente devido à pandemia, o TSE suspendeu o cancelamento dos títulos. Mas agora, nessa eleição, isso caiu e quem não regularizou o título nesse um ano, não poderá votar. Vamos ter um lapso grande de eleitores de Vargem, que estão impedidos de votar”, disse.

Segundo Glauco, dos cerca 7.930 eleitores de Vargem, poderão votar 5.406, ou seja, 2.524 estão impedidos.
O horário de votação é das 7h às 17h,  no seguintes locais: Escola Municipal Aparecida de Lourdes Borelli, Escola Municipal Sargento Sebastiao José Monteiro e Escola Estadual Adélio Ferraz de Castro.

Apuração
A apuração será no mesmo dia, no 298° Cartório. A diplomação dos eleitos  deverá ser até o dia 7 de janeiro de 2022. Já , a posse, será  dada pela Câmara, mas só após a diplomação. O mandato é valido até dezembro de 2024.

Por que terá nova eleição?
A chamada Eleição Suplementar ocorre porque o candidato eleito no pleito de 2020, Claudinho da Julia, teve o registro da candidatura indeferido em razão de uma inegibilidade de 2015. Ele recorreu em todas as instâncias e seguiu com a campanha, foi eleito, mas não conseguiu reverter o indeferimento. Em todas as instâncias da Justiça Eleitoral, sua candidatura foi indeferida.
Com isso, o vereador eleito presidente da Câmara, assumiu interinamente o cargo.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »