15/10/2015 às 22h56min - Atualizada em 15/10/2015 às 22h56min

População de Vargem sente os reflexos da instabilidade política do município.

Foto: JBR


Há quase um ano os moradores de Vargem convivem com a instabilidade política. O reflexo disso é sentido diariamente. Moradores que procuraram o Jornal de Bragança e Região relataram que escolas rurais foram fechadas, reclamaram da qualidade da merenda e da falta de creches. Na área da Saúde, a reclamação é quanto à qualidade das consultas, a demora no encaminhamento para tratamento, e existência de equipamento sem manutenção, como um aparelho de raio-x, que segundo os relatos, está parado há mais de três anos.

Sobre as estradas, a população sente a necessidade da conservação e reclama da falta de limpeza das ruas e bueiros. Outros moradores apontam a necessidade de mais segurança.

O Jornal de Bragança e Região tentou falar com o atual prefeito de Vargem, Silas Marques (PSD-SP) a fim de saber sobre os desafios que irá enfrentar, quais serão suas primeiras ações e o que ele pretende fazer para melhorar as áreas da Educação e Saúde.

Mas o prefeito eleito não atendeu as ligações e não respondeu as perguntas enviadas por e-mail.

Turbulência política

Em menos de um ano, Vargem viveu momentos inusitados, que começou com a cassação do vice-prefeito, Rafael Ferreira (PR-SP), em dezembro de 2014, por não ter domicílio no município. Cinco meses depois, em maio deste ano, o prefeito Aldo Moyses (DEM-SP) também foi cassado, acusado de improbidade administrativa. O presidente da Câmara, Claudemir Pereira (PSDB-SP) foi quem assumiu a cadeira de prefeito e também acabou sendo cassado, em setembro, acusado de falta de decoro.

O atual prefeito, Silas Marques (PSD-SP) foi eleito em uma eleição suplementar, em 13 de setembro.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »