15/10/2015 às 22h43min - Atualizada em 15/10/2015 às 22h43min

A um passo do sucesso, pagodeiros trocam noitadas por louvores

Junior canta louvores durante culto na igreja Philadelpia (Foto: JBR)


Eles estavam beirando o sucesso nacional. A música de trabalho chegou a ocupar o primeiro lugar em rádios como Band FM, Transcontinental, 105 FM. Era o grupo de pagode “Mais Prazer”, que já no primeiro CD, caiu no gosto popular com a música “Simplifica”, de autoria do produtor musical Arnaldo Sacomani e de sua filha Thais Nascimento, conhecidos nacionalmente. Com isso, o “Mais Prazer” chegou a se apresentar com bandas e grupos famosos, como Babado Novo, Sorriso Maroto, Jeito Moleque, Exaltasamba, entre outros. Com a agenda lotada e a fama batendo à porta, a vida dos seis integrantes era regada a viagens, fãs e bebida. Isso durou três anos, até que o vocalista e líder do grupo, Júnior Zanardi, decidiu parar.  O motivo: Ele se converteu a religião evangélica e trocou as letras românticas por letras de adoração a Deus.

O Jornal de Bragança e Região encontrou Junior e outros dois ex-integrantes do “Mais Prazer”, Leonardo e Diego, primos de Junior, tocando na banda da Igreja Evangélica Philadelfia, em Pinhalzinho (SP). Lá , o vocalista contou que sua conversão foi fruto das orações de sua mãe, Bia Zanardi, pastora e fundadora da Philadelfia. “Assim que os meninos saiam para os shows, eu ajoelhava e orava pela conversão do meu filho, e permanecia em oração até o Júnior voltar, na manhã do dia seguinte”, contou pastora Bia.

Junior recorda que passou a não sentir mais vontade de ir aos shows e a se incomodar com aquela vida. “Via todo mundo alegre, mas eu estava triste, vazio. Foi quando aceitei o convite da minha mãe e fui para a igreja. Depois de uma corrente de sete semanas, me converti”, relembra.

Hoje, oito anos depois, cinco dos seis integrantes do “Mais Prazer” também são convertidos. Leonardo conta que com a banda eles tinham uma falsa alegria. “Era alegria de uma noite”. Já Diego é enfático ao falar que hoje eles zelam pelas suas famílias. “Temos uma vida abençoada, somos pai, esposos de verdade. Hoje somos felizes”.

Junior é vice-presidente da Igreja Philadelfia e ao lado da mãe, a presidente, ele desenvolve vários projetos sociais, entre eles, aulas de música e jiu-jitsu. Uma pista de skate está sendo construída pela igreja para oferecer aulas gratuitas aos jovens. Além disso, dependentes químicos são tratados em clínicas custeadas pela igreja, que também faz distribuição de cestas básicas e presta orientações a quem precisar. “Minha missão é converter Pinhalzinho”, frisa Junior ao lembrar que quando sua mãe fundou a igreja as pregações e louvores eram para cerca de dez, quinze pessoas. Hoje a Philadelfia tem cerca de 400 membros.

Quanto a uma possível carreira gospel, Junior diz que se for a vontade de Deus, ele aceitará, mas que ainda não foi “tocado” com esse desejo. “Esse é um projeto em fase de oração. Preciso que Deus me confirme que é isso que ele quer. Hoje eu me dedico à igreja, a esse povo e espero tudo de Deus, não faço nada por ego. Se um dia tiver de ser, Deus vai revelar”, disse ao frisar. “O Mais Prazer é página virada. Hoje eu canto para Jesus”.

Ao encerrar Junior agradeceu aos que eram seus fãs e falou da importância da sua mãe na sua mudança de vida. “Ela me apresentou um Jesus doce, não aquele que te pune, te manda para o inferno. Mas aquele que nos aceita como somos e nos transforma. Minha mãe é um exemplo a ser seguido e a responsável pela minha conversão. Hoje estou em um caminho que me faz bem”, finalizou.

As músicas do “Mais Prazer” ainda são encontradas na internet. Junior, por ser intérprete, ainda recebe direitos autorais da música “Simplifica”, pois ela ainda é tocada em algumas regiões do Brasil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »