11/07/2018 às 12h06min - Atualizada em 11/07/2018 às 12h06min

Unidade do Acessa São Paulo não deve ser reaberta

AcessaSP foi criado há 18 anos para promover a inclusão digital (Foto: Governo do Estado de SP)


O Jornal de Bragança e Região recebeu reclamações sobre o fechamento do Acessa São Paulo na cidade de Tuiuti, que funcionava em uma sala junto ao Fundo Social de Solidariedade. 

De acordo com a Coordenadoria de Serviços ao Cidadão, área de Secretaria de Governo que define as diretrizes do programa AcessaSP, a unidade não deve ser reaberta, pois a procura pelo serviço no local ficou abaixo do que prevê o programa. Mas quando isso ocorre, o município é consultado sobre a renovação. “No caso de Tuiuti, em janeiro o sistema da Prodesp detectou que o posto estava fechado. O governo consultou o parceiro e não houve interesse na renovação. Os equipamentos serão doados à Prefeitura”, disse.

 A Coordenadoria explicou que o Governo do Estado estabeleceu que fossem mantidos os postos com taxa mensal de ocupação superior a 50%.No caso do posto que funcionava no centro de Tuiuti, a taxa de ocupação no ano de 2017 foi de apenas 19%. Essa taxa é calculada por um sistema com gestão da Prodesp (empresa de Tecnologia do Estado). Os dados mostram ainda que, no ano de 2017, o posto de Tuiuti cadastrou apenas 46 usuários e realizou 2.880 atendimentos. Em 2010, foram feitos 18.880 atendimentos no posto, que registrou, naquele ano, taxa anual de ocupação de 76%.  Ainda segundo a Coordenadoria, a baixa procura é motivada pelos avanços da tecnologia, e a universalização dos smartphones, que desde 2010 têm reduzido o número de usuários nos postos do AcessaSP.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »