08/11/2017 às 19h50min - Atualizada em 08/11/2017 às 19h50min

Famílias podem perder o Benefício de Prestação Continuada

Inscrição deve ser feita no CRAS até o mês de dezembro


A prefeitura de Socorro está alertando os idosos e seus familiares sobre a necessidade de fazer a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico), para requisitar ou manter o Benefício de Prestação Continuada (BPC), voltado a idosos e deficientes financeiramente incapazes de prover o próprio sustento ou da família. O valor do benefício equivale a um salário mínimo (R$ 937,00). A partir de agora, é obrigado a atualizar o cadastro, quem não fizer perde o benefício. 

Os idosos têm até dezembro de 2017 para se inscrever no CadÚnico. Em Socorro, a inscrição deve ser feita junto ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), que fica na rua João Leonardelli, nº 466, das 8h às 17h, de segunda a sexta. Pessoas com deficiência têm o prazo estendido até dezembro de 2018.

No momento do cadastro, é necessário levar o CPF de todas as pessoas da família, uma vez que o critério básico de seleção dos assistidos é a divisão total da renda da família pelo número de pessoas integrantes, cujo resultado não pode ultrapassar um quarto do salário mínimo, ou seja, R$ 234,25, de acordo com o piso salarial em vigor. “É importante destacar que os beneficiados e requerentes que perderem os prazos estipulados para inscrição no CadÚnico, não terão acesso ao BPC. Outro fator importante é atualizar os dados sempre que houver alteração na família ou num período máximo de dois anos, sob risco de perda do benefício”, ressaltou o secretário municipal de Cidadania, Airton Domingues de Souza.

Atualmente, mais de 4,4 milhões de pessoas em todo o Brasil recebem mensalmente o BPC – dessas, mais de dois milhões são idosas. Em Socorro, há 210 idosos que recebem o auxílio, porém somente 69 se inscreveram até o momento, enquanto 141 ainda precisam aderir ao Cadastro Único.

Para outras informações, é só entrar em contato com o CRAS de Socorro pelo telefone (19) 3895-5503, ou junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário pelo número 0800 707 2003.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »