16/11/2016 às 10h42min - Atualizada em 16/11/2016 às 10h42min

Prefeito Nande (DEM) é acusado de crime eleitoral

Oposição pede cassação e inelegibilidade de Nande por oito anos

Foto: JBR


A Justiça Eleitoral investiga o prefeito de Tuiuti, Jair Fernandes, o Nande (DEM), reeleito nas eleições de outubro com apenas 154 votos de diferença do segundo colocado, o candidato Marcelo dos Reis (PTB).

A denúncia foi protocolada pelo Partido Verde na 298ª zona eleitoral e acusa também o vice-prefeito de Nande, Júlio da Silveira Lima, o Julinho, de abuso de poder político e sufrágio, que é a captação ilegal de votos.

Os, então, candidatos a prefeito e vice teriam, de acordo com a denúncia, utilizado durante a campanha, diversos recursos proibidos por lei, usando a máquina Administrativa para se favorecerem.

No documento encaminhado à Justiça, os denunciantes anexaram declarações de moradores da cidade, afirmando que Nande e Julinho, ofereceram tubos de concreto armado em troca de votos. Os candidatos são acusados também de permitir o uso de uma máquina da Prefeitura, operada por um funcionário público, para prestar serviço em propriedade particular, o que teria acontecido no dia 5 de setembro. No documento, há foto do serviço sendo realizado, o que a oposição chama de flagrante. Além disso, outras pessoas, também tidas como testemunhas, teriam declarado que o prefeito Nande conseguiu um novo local para servir como sede da Igreja Assembleia de Deus, do pastor Diego Furtwangler, em troca de apoio político.  A denúncia juntou aos documentos, um vídeo que teria sido postado pelo pastor em uma rede social no dia 1º de outubro, dois dias antes da eleição. No vídeo, o líder da igreja pede o apoio dos fiéis ao candidato Nande.  Já depois da eleição, o pastor teria publicado um áudio no WhatsApp, convidando os membros do grupo a participarem de um culto no dia 17 de outubro, às 19h, no novo prédio da igreja. Um trecho da gravação diz: “O prefeito da cidade me prometeu ajudar, me propôs ajudar e ele está honrando com o compromisso. Ou seja, ele antes da política prometeu e depois da política está honrando, tá entendendo?” Em outro trecho, o pastor teria dito: “Então, a casa onde haverá os cultos aqui, a casa onde eu estou, primeiramente foi Deus, primeiramente foi o senhor, primeiramente foi o Jeová, o dono do céu e da terra e o dono das nossas vidas, quem deu. E segundo, ele usou a vida do prefeito da cidade, o prefeito Nande para abençoar com está casa aqui”.
O vídeo e o áudio foram analisados por um perito, que constatou a autenticidade de ambos.

Derrame de santinho

Outra denúncia, feita pelo Partido Verde de Tuiuti e protocolada na Promotoria Eleitoral da Comarca de Bragança, acusa Nande, seu vice, Julinho e candidatos a vereador, de promoverem derrame de material de propaganda eleitoral (jogar santinhos na frente dos locais de votação) e em vias próximas, ente os dia 1 e 2 de outubro. De acordo com a denúncia, foram aproximadamente 200 mil santinhos. Os denunciantes afirmam que foi elaborado um Boletim de Ocorrência e dado ciência ao chefe do Cartório, Glauco Tristini, já no dia do acontecimento.

Ao final, a denúncia pede a anulação da votação dos candidatos que promoveram o derrame de santinho. Pedem ainda a inelegibilidade de Nande e seu vice, por oito anos, e a cassação de registro ou diploma, caso cheguem a assumir.

O Jornal de Bragança e Região  entrou em contato com o prefeito Nande e também com o departamento Jurídico da Prefeitura, para que se manifestassem sobre as acusações, mas eles não retornaram. O espaço continua aberto. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »