04/05/2016 às 21h14min - Atualizada em 04/05/2016 às 21h14min

Presidente do Solidariedade contesta afirmação de prefeito e da Redenilf

Augusto Brandão presidente SDD (Foto: Reprodução Facebook)


Em um dos trechos da matéria publicada pelo Jornal de Bragança e Região, edição de abril, sobre Tuiuti sem internet, o prefeito Jair Fernandes, o Nande (DEM), afirmou que a Prefeitura havia deixado de pagar à Redenilf pelos serviços de internet, usados por alguns departamentos municipais. 
Informação também confirmada pelo diretor comercial da empresa, João Paulo Ferreira. No entanto, ambos diziam que a suspensão dos pagamentos ocorreu em 2013. Afirmação contestada pelo presidente do partido Solidariedade (SDD), Augusto Brandão, que enviou documentos ao Jornal de Bragança e Região apontando que os pagamentos foram feitos até dezembro de 2015.
O Jornal de Bragança e Região questionou o prefeito Nande sobre os documentos e ele, num primeiro momento, voltou a afirmar que os pagamentos foram suspensos entre março e abril de 2013, quando o próprio Augusto Brandão era seu Chefe de Gabinete. “Que eu me recorde, foi pago até o início de 2013. Quem fez toda a negociação para não pagar mais foi o próprio Augusto”, disse.
O Jornal de Bragança e Região solicitou documentos ao prefeito e, um dia após fazer essa afirmação, ele voltou a falar com o departamento de jornalismo e, dessa vez, disse que checou os documentos junto com o departamento de contabilidade. “Eu levantei e, de fato, foi pago à Redenilf até fevereiro de 2014. Não tem nada de 2015”, afirmou.
Mas os documentos comprovando que os pagamentos foram suspensos em 2014, não foram enviados ao jornal, conforme solicitado por telefone ao próprio prefeito. 
O Jornal de Bragança e Região também entrou em contato com a Redenilf, mas não obteve retorno.  
Sobre ter negociado a suspensão dos pagamentos e a regularização da torre com a Redenilf, Augusto Brandão, disse que ocupou o cargo de Chefe de Gabinete, de janeiro a setembro de 2013 e confirmou que chegou a conversar com a empresa. “Logo no começo eu chamei a empresa, levantei o problema e passei para o prefeito tomar providência, falei o que poderia ser feito. Mas eu não tinha poder pra resolver”, disse. 

Parte da população de Tuiuti está sem internet, pois a Redenilf, que presta esse serviço na cidade, teve de retirar os equipamentos da torre, já que essa era usada pela empresa, há 10 anos, ilegalmente, ou seja, sem autorização da Prefeitura. Apesar da ilegalidade, a empresa ainda cobrava da Prefeitura pelo uso de cerca de 10 pontos de internet. 
Após denúncia do Solidariedade, a Justiça pediu providências, o que levou o prefeito Nande a solicitar que a Redenilf retirasse os equipamentos. A Prefeitura deve abrir licitação para legalizar o uso da torre.

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »