14/03/2016 às 03h17min - Atualizada em 14/03/2016 às 03h17min

Poluição invisível

Cada vez mais os cabos e fios estão ficando no passado, já que a tendência são os dispositivos móveis, sem fio e com baterias que, cada vez mais, têm longa duração. Assim, cada vez mais, o usuário vai ficando livre do cabo de energia. Até existem algumas pesquisas de dispositivos que são carregados sem a necessidade de fio, mas ainda é algo que está longe das prateleiras das lojas.
É impossível imaginar, hoje, alguém utilizando um tablet, celular ou qualquer outro dispositivo móvel, com um cabo de rede fixado nele para, só assim, poder acessar a internet da sua casa ou escritório. Isso mostra o quanto é importante essa tecnologia na atual era da informação.
Mas nem tudo são flores, com o aumento do uso desses dispositivos, a comunicação eletromagnética tem gerado uma briga por espaço, ou seja, problemas de interferência.
Já presenciei um problema com a internet de um cliente, em que o telefone sem fio utilizava a mesma frequência do roteador e, com isso, toda vez que o telefone tocava, o sinal da internet caia. Ele trocou de telefone pra conseguir resolver o problema.
Um exemplo simples que explica bem essa situação é quando vamos viajar de avião e surge o aviso para que todos desliguem o celular, a fim de evitar interferência nos equipamento eletrônicos do avião. Mesmo com a solicitação, a grande maioria ignora o aviso sem imaginar o grande problema que pode estar causando.
Há alguns estudos que falam que essas ondas eletromagnéticas podem causar uma série de doenças quando expostas por um determinado tempo aos nossos órgãos, mas se isso se confirmar, fica a pergunta: Como nos proteger de algo invisível aos nossos olhos?
De uma forma geral, a padronização por meio de normas, pode resolver muitos problemas mencionados, por isso procure comprar produtos que atendam os requisitos solicitados pelos órgãos de comunicação, evitando dor de cabeça mais tarde.

 

Link
Relacionadas »
Comentários »