16/12/2015 às 01h06min - Atualizada em 16/12/2015 às 01h06min

Cada Dois Com Seus Pobrema

Foto: Divulgação

Depois uma temporada do sucesso de público e crítica, a peça “Cada Dois Com Seus Pobrema” reestreia em São Paulo. Escrita e interpretada por Marcelo Medici, a peça foi criada pela mesma equipe que participou de “Cada Um Com Seus Pobrema”. Ricardo Rathsam, que dirigiu e colaborou no texto há dez anos, agora participa como ator. A atriz Paula Cohen que fez assistência de direção na montagem de cada um, agora assina a direção. Confira a entrevista concedida a mim, exclusivamente para o Jornal de Bragança e Região.

JBR: Marcelo, como está sendo fazer “Cada dois com seus pobrema”, com o Ricardo Rathsam dividindo o palco com você?

MM: Uma parceria perfeita. Já dirigi o Ricardo  num espetáculo que ele escreveu (Enquanto Não Fazemos Novela), e ele me dirigiu em “Cada Um Com Seus Pobrema”, além de criar personagens e colaborar no texto. Essa é a segunda vez que estamos juntos em cena, a primeira foi em Eu Era Tudo Pra Ela… e Ela Me Deixou. Tenho uma imensa admiracão pelo trabalho do Ricardo, que nunca atua de maneira óbvia, tem frescor, inteligência cênica e generosidade. E isso é muito difícil de encontrar.

JBR: “Cada dois com seus pobrema” não é uma continuação do “Cada um com seus pobrema”, mas os títulos são parecidos, o que difere um trabalho do outro?

MM: Esse foi o grande desafio… criar um espetáculo que fosse uma continuação, mas que não ficasse sem sentido para as pessoas que não assistiram o Um. Modéstia a parte, conseguimos. Um trabalho danado porque não demos uma “garibada” no espetáculo anterior. É realmente outra peça.

JBR: Trabalhar com Paula Cohen, agora na direção, como está sendo?

MM: Paula é uma artista de alma: atriz genial, poetisa, autora, cantora, bailarina, com todos os requisitos para conduzir um espetáculo. O diretor é a rede de proteção do trapezista, é o maestro. Mais uma vez vou falar de generosidade, pois o olhar da Paula nos trouxe segurança, criatividade e a delicadeza que só as mulheres têm. Todas as vezes que ela vai assistir o espetáculo é uma festa. Ela irradia beleza.

JBR: E os seus personagens de grande sucesso do “Cada um com seus pobremas”, retornam?

MM: Alguns,o Sanderson, por exemplo, já esteve em quatro outros espetáculos, ganhei com ele o Premio Multishow de Humor em 1998, participei do humorístico A Praça é Nossa por dois anos (lá se chamava Zoinho) e hoje está no Vai Que Cola (transmitido pelo Multishow) e, no Cada 2, claro. Acho que consegui algo raro na profissão, que foi criar um personagem tão forte quanto esse motoboy corinthiano e, paralelo a isso, fazer trabalhos mais dramáticos como a série O Canto da Sereia e o filme Getúlio, por exemplo. É preciso domar essas criaturas, senão elas acabam dominando os criadores. Tenho impressão que muitos deles me seguirão por um tempo, mas gosto disso.

Serviço: “Cada Dois Com Seus Pobrema”

Local: Teatro Shopping Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 596, 7o andar – Consolação.

Temporada: de 13 de janeiro a 25 de fevereiro de 2016.

Quartas e quintas às 21h.

Telefones: (11) 3472-2229 e (11) 3472–2230

Link
Relacionadas »
Comentários »