05/06/2019 às 14h47min - Atualizada em 05/06/2019 às 14h47min

Vereadores tentam esvaziar show de humor, mas fracassam

Foto: Reprodução Instagram


O show do humorista Eros Prado, ex-Pânico, lotou o Cine Teatro de Extrema, a ponto de ser preciso abrir uma segunda sessão. A apresentação “Pagode da Ofensa” foi no sábado, dia 1 de junho, e virou polêmica, mesmo antes de acontecer. Isso porque dias antes, o vereador Luis Fernando Ferreira, o Mantega, usou o microfone da Câmara durante sessão ordinária que antecedeu o show, para fazer uma espécie de censura ao show de Eros, que havia feito uma crítica cantada e com sátira,  sobre um problema relacionado à drogas, no bairro Bela Vista, Extrema.  

O vereador chegou a falar, inclusive, em manifestação contra o show. “Eu, vereador Mantega, sou contra e convido até a fazer uma manifestação, se houver esse evento, sei lá onde vai ser, contra esses integrantes. Porque tem que ter respeito com as pessoas. E aqui em Extrema moram pessoas que merecem receber eventos de mais qualidade do que esse que estão tentando trazer para cá”
O presidente da Câmara, Leandro Marinho,  apoiou Mantega. “Faço das suas palavras, as minhas também, também sou contrario a esse tipo de evento”, disse.

Sabendo da campanha contra o seu show, o humorista pediu, através de vídeo, para que a população de Extrema lhe enviasse outros problemas da cidade, que Eros chama de “historinhas”. 

E surgiram denúncias das mais variadas, e que foram sendo citadas pelo humorista em vídeos feitos por ele, e divulgados em páginas nas redes sociais e pelo WhatsApp. 

A Prefeitura chegou a publicar uma nota em seu site, se isentando da organização do show e informando que a Secretaria de Cultura teria pedido que o humorista fizesse uma retratação. 

Mas nada adiantou,  e tudo acabou virando propaganda a favor de Eros Prado, que tinha previsto apenas uma apresentação em Extrema, que lotou tanto, que ele decidiu fazer um show extra, que também teve plateia cheia.

As “historinhas” de Extrema

O humorista contou que chegaram várias historinhas de Extrema, como a de um vereador que teria empregado alguém como pagamento de pensão, história de que o prefeito contrata familiares para trabalhar na Prefeitura, de funcionário que recebe R$ 9 mil e... fica no banheiro (conteúdo impróprio), entre outras piadas cantadas no “Pagode da Ofensa”.

Coincidentemente, a sessão ordinária da Câmara, de segunda-feira (3), dois dias após o show de Eros Prado, foi cancelada. No site da Câmara não há nenhum comunicado sobre o motivo do cancelamento. O JBR entrou em contato com a a assessoria de imprensa, que não retornou. 

Fontes ouvidas pelo Jornal de Bragança e Região, na cidade de Extrema, disseram que alguns vereadores temiam algum tipo de manifestação na Casa de Leis.

Procurada, a Prefeitura não comentou sobre as “historinhas” citadas pelo humorista.

Show em Bragança 

Em Bragança, o show de Eros Prado será dia 22 de junho, na Casa de Cultura. Em vídeo que circula nas redes sociais, ele faz críticas com sátira, que diz: “A prefeitura de Bragança fez o App da zona azul, pra ver se a galera do trânsito não fica tão lerda, mas sabe o que a galera tá achando? Que esse App tá uma merda! Ainda mais com os velhinhos que não têm celular. Eles tão bravo, tão no veneno, vão ter que parar em lugar errado, igual faz o vereador Claudio Moreno”.

Eros Prado tem quase meio milhão de seguidores no Instagram e tem a uma agenda de shows lotada.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »