30/01/2019 às 11h25min - Atualizada em 30/01/2019 às 11h25min

Após “racha”, prefeito João Batista deixa PSDB

Foto: Reprodução Facebook


No fim de 2018, circulou através do WhatsApp uma carta assinada pelo prefeito João Batista, endereçada ao presidente municipal do PSDB, o ex-prefeito, Luiz Carlos Bergamin, conhecido como Dr. Luiz, solicitando sua desfiliação do partido.

Na carta, o atual prefeito expõe o que muitos já sabiam, que houve um “racha” dentro do PSDB. João Batista apresenta suas justificativas e afirma que “a atual gestão se tornou alvo de ataques pessoais e políticos de membros integrantes do próprio Diretório”, citando o ex-prefeito, Dr. Luiz, e o vereador Pericle Mazzi Filho, o Pepi. Na carta, afirma também que foi excluído da Executiva do partido após ser eleito.

 O vereador Pepi se defende dizendo que está “apenas cumprindo seu dever legal de fiscalizar”. Já Dr. Luiz, afirma que o documento assinado pelo prefeito está “eivado de inverdades, de acusações e difamações”.

Outro ofício, assinado por Hermes Gomes de Andrade, foi encaminhado á juíza da 112ª Zona Eleitoral, Maria Fernanda Manfrinato Braga, citando que o ex-prefeito Dr. Luiz, teria se recusado a receber formalmente o pedido de desfiliação de João Batista e que Dr. Luiz teria tirado uma cópia do documento.

Diante disso, Dr. Luiz também preparou um documento e enviou à Dra. Maria Fernanda, justificando que se negou a receber o ofício por não concordar com “o conteúdo das explicações”, que não foi contrário à desfiliação do prefeito, e que o mesmo poderia ter usado “documento adequado para pedir sua desfiliação”. 

De acordo com informações, João Batista deixou o PSDB e filiou-se ao PSL, o mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro.
 
De olho em 2020

Inteligentemente, João Batista deixa o PSDB e assim, garante um espaço na disputa pela reeleição em 2020, já que dentro do antigo partido, teria que desbancar seu padrinho político e ex-aliado, que governou a cidade por muitos anos. Uma tarefa nada fácil, principalmente depois que Dr. Luiz mostrou que mesmo fora do poder, tem capital político, apoiando e ajudando a reeleger lideranças mineiras tucanas, nas eleições de 2018.

Se para Dr. Luiz, o caminho está livre dentro do partido, agora ele sabe que certamente terá um adversário nas urnas, João Batista, que possivelmente será candidato a reeleição, e com a “máquina nas mãos”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »