21/03/2018 às 13h43min - Atualizada em 21/03/2018 às 13h43min

Estatísticas mostram casos de violência e estupros contra mulher



Nesta edição, o Jornal de Bragança e Região traz os dados sobre atos de violência contra a mulher registrados na cidade de Extrema (MG), que não tem Delegacia de Defesa da Mulher. E de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Minas (SSP-MG), nem há, no momento, previsão de implantação de uma. “No município, as ocorrências de violência contra a mulher são atendidas pela Delegacia de Polícia Civil da área”, disse.

Registros

De acordo com a SSP, em 2017 foram sessenta casos de violência à mulher, incluindo vias de fato e lesões corporais. Treze mulheres foram estupradas em Extrema no ano passado, incluindo os abusos consumados e tentados, atos libidinosos e estupros contra vulneráveis. Neste ano, o município já registrou um caso de estupro em vulnerável. 

Ao Jornal de Bragança e Região, a Secretaria de Segurança Pública de Minas disse que estatisticamente, até o momento, ao se comparar a média mensal dos anos 2017 e 2018 desses delitos, os dados têm apresentado queda. “Apesar disso, é importante frisar que todos os casos envolvendo violência contra a mulher devem ser denunciados para que as autoridades possam fazer os procedimentos e encaminhamentos necessários, visando à proteção da vítima e evitar novas ocorrências”.

As denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas diretamente em uma unidade da Polícia Civil ou da Polícia Militar e, ainda, pelos telefones 180 (Central de Atendimento à Mulher), 197 (Polícia Civil) e 190 (Polícia Militar).

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »