28/08/2017 às 16h27min - Atualizada em 28/08/2017 às 16h27min

Ex-policial militar de Bragança mata noiva estrangulada

Foto: Reprodução Facebook


Marcelo Oliveira Arantes, 36 anos, se entregou à Polícia da cidade de Angatuba, interior de São Paulo, onde matou estrangulada a noiva, Gláucia Mercedes de Camargo Machado, 32 anos, após briga motivada por ciúme. O casal estava junto há cerca de um ano e meio.

Marcelo Arantes e sua família são de Bragança Paulista, onde ele trabalhou como PM no 34º Batalhão, de maio de 2004 a setembro de 2014. O desligamento, segundo o Batalhão, foi porque ele não era compatível com os serviços da Polícia Militar. Marcelo respondeu a vários processos. Um deles gerou a exoneração da corporação.

O Crime

Segundo informações, Marcelo e Gláucia estavam na festa de noivado da irmã dela, onde já se desentendiam. O casal foi embora antes da festa acabar, levado por um parente, que teria relatado que, ainda no carro, Marcelo e Gláucia discutiram.

Marcelo estrangulou a companheira na casa onde eles viviam, no quintal da casa da mãe da vítima. O corpo dela foi encontrado com marcas no pescoço. Ela tinha um filho de 15 anos, que dormia na casa da avó no momento do crime.
Marcelo ligou para a polícia por volta das 5h20 de domingo e relatou o desentendimento. Segundo a polícia, ele estava nervoso e chorava. O SAMU foi até a residência do casal e detectou que a vítima já estava morta. Marcelo se entregou à polícia e está preso na cadeia de Piraju.

O corpo de Glaucia foi sepultado no domingo (27), às 19h em Angatuba. Ela estava no último ano da faculdade de Psicologia.

Em Bragança

O ex-policial manteve em Bragança uma empresa de segurança, chamada Seven e frequentemente postava fotos nas redes sociais, se intitulando Comandante Marcelo. Alguns ex-companheiros de trabalho, relatam que Marcelo tinha comportamento agressivo e que chegou a atirar contra a então esposa, com quem vivia na época. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »