15/06/2016 às 15h55min - Atualizada em 15/06/2016 às 15h55min

Pacientes reclamam que não conseguem agendar cirurgias no HUSF em Bragança

Foto: JBR


Só no mês de maio deste ano, o Jornal de Bragança e Região recebeu três reclamações de pacientes que estão tentando agendar cirurgias no Hospital Universitário São Francisco de Bragança, mas não estão conseguindo. Dona Cesira de Lima, de 59 anos, está com aproximadamente 10 cm da bexiga para fora do corpo. Há cerca de um mês ela fez vários exames no HUSF, mas não passou disso. “A médica que a examinou ficou impressionada, tirou foto da parte da bexiga que está para fora, levou à diretoria, mas nem assim a cirurgia foi autorizada. Ela sofre demais”, relatou a sobrinha Andrea. 
Devido ao problema, dona Cesira passa a maior parte do tempo deitada e com medo de contrair alguma infecção, já que a bexiga está exposta. “Pense em uma bexiga dessas de aniversário e pense que ela foi inflada e esvaziada algumas vezes. É dessa forma que está a bexiga da minha tia e para fora do corpo, correndo risco de contrair uma infecção”, disse ao comentar que um dos médicos que atendeu sua tia, revelou que o HUSF teria cancelado cerca de 300 cirurgias. 
Outra paciente, Maria Aparecida de Arruda, tem um mioma no útero, este que está crescido, segundo relatou sua filha. O tratamento é feito no próprio Hospital Universitário, onde ela afirma que não consegue agendar a operação. “Ela foi encaminhada pelo Posto de Saúde do São Lourenço, mas fica um jogo de empurra-empurra e ninguém agenda. Um descaso”, desabafou a filha Natália, que ainda relatou que a mãe vive a base de remédios para não ter hemorragias. Situação semelhante enfrenta Cátia, que também necessita de uma cirurgia para retirada de um miomatose uterina, mas que aguarda há pelo menos três meses. 
Em resposta ao JBR, o Hospital Universitário São Francisco informou que está funcionando normalmente, realizando cirurgias e atendimentos. “Desta forma, ressaltamos que cumprimos plenamente o estabelecido na contratualização pactuada com o Departamento Regional de Saúde - DRS VII Campinas”.
Com relação às reclamações, o Hospital solicitou que o JBR encaminhasse os nomes das pacientes para uma avaliação individual de cada caso, no sentido de identificar, entender e resolver as dificuldades nos agendamentos dos procedimentos cirúrgicos. Os nomes das três pacientes foram encaminhados.
O JBR também entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo para obter os valores destinados mensalmente ao HUSF. De acordo com as informações enviadas para o JBR, foram assinados neste ano, dois convênios entre o Estado e o Hospital, um no valor de R$ 12,6 milhões, e outro no valor de R$ 1,1 milhão, totalizando R$ 13,7 milhões.
Ainda de acordo com a Secretaria, esse valor é dividido em parcelas mensais, sendo que o último pagamento foi feito no dia 06 de junho.

Diminuição dos repasses
Em maio de 2015, um convênio entre o Estado e o HUSF repassou ao Hospital o valor total de R$ 15,153 milhões, ou seja, quase um milhão e meio de reais a mais, o que mostra uma queda no repasse em 2016. Talvez essa diminuição explique a demora para a realização de cirurgias. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »