16/12/2015 às 00h45min - Atualizada em 16/12/2015 às 00h45min

Mais de 30 medicamentos estão em falta na Rede Municipal de Saúde de Bragança

Secretária de Saúde não explica motivo da falta nem quando situação irá normalizar

Foto: JBR


Não é de hoje que pacientes da Rede Municipal de Saúde de Bragança convivem com a falta de medicamentos, um problema sério para as pessoas que não têm condições de comprar os remédios. Na Farmácia municipal da Unidade de Saúde do Jardim Águas Claras, por exemplo, está fixada no mural, uma lista com a relação de 37 remédios em falta. 

Leitores do Jornal de Bragança e Região entraram em contato com departamento de jornalismo, relatando a falta dos medicamentos.  Como a lista aponta os nomes das fórmulas dos medicamentos, a equipe do jornal consultou uma Farmacêutica, que após ver a relação, explicou que constam na lista medicamentos para reposição de cálcio, indicados para pacientes com artrite e artrose, especialmente mulheres.  Também estão na lista antibióticos, remédios para problemas respiratórios, como asma, medicamentos para tireóide e para o coração, entre outros, tão importantes quanto estes.

O Jornal de Bragança e Região consultou o preço de um dos medicamentos, o Glicosamina + Condroitina (Artrolive). A caixa com 90 compridos custa, em média R$ 200,00.  Já a caixa com 30 cápsulas, gira em torno de R$ 75, 00, sem descontos.

O Jornal de Bragança e Região tentou várias vezes ouvir a secretária de Saúde Grazille Bertolini, insistindo, inclusive. O primeiro contato foi feito no dia 10 de dezembro e a última tentativa foi no fechamento do jornal, dia 16, quando ela pediu que as perguntas fossem reenviadas. A equipe do Jornal reenviou, no entanto ela não as respondeu, deixando, dessa forma, os pacientes sem respostas e sem a informação do motivo da falta de tantos remédios e quando a situação votará ao normal. O Jornal de Bragança e Região lamenta.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »