16/09/2015 às 22h02min - Atualizada em 16/09/2015 às 22h02min

Condomínios de Bragança que pagam a própria conta de iluminação pública não têm lâmpadas desligadas

Foto: JBR


Os condomínios residências de Bragança com controle de acesso não foram atingidos pela medida de economia adotada pela Prefeitura de Bragança e, com isso, a iluminação das ruas segue sem alteração, ou seja, 100% iluminadas. Isso, porque de acordo com Prefeitura, a responsabilidade pelo pagamento da conta da iluminação é do próprio condomínio. Informação confirmada por três condomínios consultados pelo Jornal de Bragança e Região. A assessoria da Prefeitura explicou que os condomínios foram notificados e passaram a ser responsáveis por suas contas. No entanto, no quarto condomínio consultado, o Euroville, onde mora o prefeito, o administrador não retornou as ligações, mas uma moradora afirmou que a iluminação pública é paga pela Prefeitura e que também algumas luminárias foram desligadas. Já outro morador diz que não há lâmpadas desligadas e não soube informar quem paga a conta.

Entre os bairros populares de Bragança, cerca de 8% dos 18 mil pontos de luminárias, estão desligados. O “apagão” foi adotado há cerca de um mês e, segundo o prefeito Fernão Dias, visa a economia. Antes da medida, a Prefeitura pagava à Energisa, Concessionária de Energia Elétrica, cerca de R$ 600 mil por mês referente à conta da iluminação pública, 50% a mais do que pagava em março, antes do reajuste da tarifa. O desligamento das lâmpadas, segundo dados da Prefeitura, está gerando uma economia de aproximadamente 1500 kw, o que representa mais ou menos R$ 120 mil/mês.

Já segundo dados passados pelo prefeito durante entrevista a Rádio O Caminho FM, no dia 8 de setembro, a economia mensal gira em torno de R$ 35 mil.

Insegurança

Mas a economia trouxe um problema para a população. A sensação de insegurança. Com isso moradores evitam sair á noite. Na rua Cel. Assis Gonçalves (rua da Santa Casa),no centro, altura do número 420, há uma sequência de cinco lâmpadas apagadas. Moradores relatam que deixaram de sair de casa após as 19h, por medo.

Na mesma rua fica a praça Princesa Isabel (praçinha do Rosário), que está completamente escura. Parte da rua Nicolino Nacarati, que corta a Assis Gonçalves, também tem sequência de lâmpadas apagadas. O mesmo é visto na rua Dr. Cândido Rodrigues e Prof.Luiz Nardy, também no centro, onde comerciantes relatam que existe o agravante das árvores que sem poda acabam tornando a rua ainda mais insegura.

Mas de acordo com o prefeito, ele não vai mudar sua decisão. “É decisão tomada, é decisão de governo”, disse Fernão Dias.

A Assessoria da Prefeitura afirmou. “No momento, não haverá aumento no número de lâmpadas desligadas. A pausa está sendo feita para análise da medida e revisão dos locais, já que algumas luminárias terão que ser reacesas visando a segurança pública”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »