08/04/2021 às 15h05min - Atualizada em 08/04/2021 às 15h05min

Região Bragantina registra mais de 900 mortes por Covid-19

Bragança, a cidade sede, é a que tem mais óbitos



Depois de um ano do início da pandemia da Covid-19, o Brasil tem números recordes de óbitos, que em 24 horas chegaram a mais de 4 mil mortes. O Sudeste do Brasil também tem números assustadores de vítimas fatais, passando de 15.967, somente no mês de abril.

Na região bragantina, os óbitos também tiveram crescimento em 2021, sendo o mês de março o mais fatal da chamada 2ª onda. Com isso, as 16 cidades que formam a região bragantina passaram de 900 mortes, desde o início da pandemia até os sete primeiros dias de abril.  Até o dia 31 de março, ou seja, nos três meses de 2021, as 16 cidades juntas, somaram mais de 850 mortes.

A cidade com mais óbitos é Bragança Paulista, a sede da região bragantina, que chegou no dia 7 de abril, a 290 mortes. Número que no dia 8, já saltou para 296. A segunda cidade com mais óbitos é Atibaia, com 194, seguida por Amparo com 116. Dados atualizados no dia 7 de abril.

Em Bragança, o número de mortes de janeiro a março deste ano, já superou o número de óbitos dos dez meses de pandemia de 2020 (de março a dezembro), quando foram registradas 103 mortes. Só neste ano, já são 193.  Aliás, março, foi o pior mês, com 117 óbitos, mais que todas as mortes de 2020, por Covid-19.

Destaque positivo para a cidade de Pedra Bela, que está há 57 dias sem mortes por coronavírus.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »