24/03/2021 às 11h40min - Atualizada em 24/03/2021 às 11h40min

"Falta de medicação para intubação é problema", diz Prefeitura



De acordo com  Prefeitura de Bragança Paulista, a falta de medicamentos para intubação, é um problema generalizado, inclusive, atingindo o município e região. "Os hospitais possuem as medicações para poucos dias", disse a Prefeitura ao informar que todos estão tentando adquirir junto aos fornecedores, os quais estão com preços exorbitantes. "Além disso, aguardamos os fornecimentos que chegam via Ata da Secretaria de Estado da Saúde".

A secretária de Saúde, Marina de Oliveira disse durante Live realizada nesta quarta-feira (24), que a Prefeitura emprestou kits de medicamento para intubação, do Hospital Universitário São Francisco. "Já fizemos a aquisação", disse ao afirmar que Bragança não ficará desabastecida.
 
Oxigênio
Ainda segundo a Prefeitura, não há desabastecimento de oxigênio, apesar de nas últimas semanas, ter aumentado muito o consumo de oxigênio no município ,em decorrência da elevação no número de internações. "
Dessa forma, a Santa Casa de Bragança Paulista, a UPA Vila Davi e o Hospital Universitário São Francisco possuem tanques de oxigênio. Todos estão abastecidos e neste momento não registramos problemas com o guarnecimento", disse ao acrescetanr que há cilindros na UPA Bom Jesus, em que parte estão em uso, parte sendo recarregados e parte em estoque.
 
O Jornal de Bragança e Região ouviu Roberto Beati, da Betox Gases Indstriais e Mediciais, com sede em Bragança Paulista, que explicou o que está acontecendo "O que está afetada é a logística para conseguir o oxigênio, porque demanda tempo para encher cada cilindro e aumentou a procura. Outra questão, é a falta de cilindros em estoque, sendo que para comprar novos cilindros, tem de esperar a entrega, que também leva tempo e, justamente porque também aumentou a procura" , explicou Roberto, ao dizer que o oxigênio em si, não está em falta. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »