12/03/2021 às 10h36min - Atualizada em 12/03/2021 às 10h36min

Cemitério da Saudade tem recorde de sepultamentos

Foram abertas mais de 100 novas gavetas e outras mais de 500 estão programadas

JBR


Por conta do número de óbitos por Covid-19, o Cemitério da Saudade de Bragança Paulista, também está passando por adequações, devido ao recorde de enterros registrados nos últimos meses.

Segundo a direção do Cemitério da Saudade, do dia 1º de janeiro ao dia 10 de março, a média diária de enterros vem sendo de 4, o que equivale a 120 sepultamentos no mês. O que significa 26 enterros a mais por mês, se comparado aos quatro anos anteriores.

Desde o primeiro dia de janeiro, se passaram (até o dia 10/3), sessenta e nove dias. O que, significa que o Cemitério da Saudade já teve, só nesses dois meses e dez dias, 276 sepultamentos.
O número é recorde, pois nem em 2020, já com a pandemia instalada, ocorriam tantos enterros. A média, no ano passado, se manteve, chegando a 94/mês.

Antes da Pandemia
A média de sepultamento em 2017 e 2018 foi de 88 por mês. Em 2019 foi de 90.

Novas Gavetas - Total será de 628
Segundo o Celso Dias, responsável pela administração do Cemitério da Saudade, como medida preventiva, a Secretaria de Serviços Municipais tem adquirido novos gavetários, devido à demanda. Recentemente foram adquiridos e construídos 80 novos gavetários e 28 novos de alvenaria. “Um novo local já está preparado para a construção de mais 120 gavetários e 200 caixas ossuário. Paralelamente, uma nova área abrigará mais 200 gavetas”, informou Celso, ao completar. “Não vislumbramos falta de espaço na área pública mas, evidentemente, o momento exige medidas cautelares”, finalizou.

O Cemitério
Segundo a administração, o Cemitério tem 121 anos de existência, e possuiu milhares de túmulos particulares. A área total é de 2 alqueires, sendo constituído de túmulos perpétuos (adquirido por prazo indeterminado)  e de uso temporário (por 3 anos), em gaveta vertical ou cova na terra.
A área pública tem capacidade para 2.300 sepultamentos, sendo destinada ao uso rotativo, com tempo máximo de 3 anos. Depois é feita a exumação.

Nota da Redação: Os dados são referentes a enterros realizados somente no Cemitério da Saudade, já que é o único que possui ala pública.  Na média de enterro/mês também estão contabilizados mortes por outras causas, além da Covid-19.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »