05/08/2015 às 15h54min - Atualizada em 05/08/2015 às 15h54min

Jornalista bragantino é ameaçado por secretário municipal de Jarinú

José Mangolin, o secretário, é conhecido na região bragantina

Foto: Reprodução Tv Tem


“Depois o Tim Lopes some...” 

A frase ameaçadora foi dita pelo secretário de Obras de Jarinú (SP), José Francisco Mangolin e dirigida ao jornalista Rafael Fachim, da TV TEM, afiliada da Globo.  O episódio aconteceu no dia 30 de julho, após o repórter terminar a entrevista ao vivo, onde o secretário dava explicações sobre o atraso da obra de uma Unidade Básica de Saúde, prevista para ser entregue em dezembro de 2014 e que ainda não está pronta. Mas assim que a entrevista terminou, Mangolin demonstrou irritação com os questionamentos do repórter. Em tom ríspido e dando as costas ao jorna lista ele ameaçou. “Depois o Tim Lopes some...” 

Rafael então pergunta. “O senhor está me ameaçando, secretário?”

Mangolin tenta consertar. “Eu falei do Tim Lopes porque às vezes as pessoas falam coisas que não são verdades”.

No mesmo dia, mais tarde, uma repórter da emissora gravou uma entrevista com o secretário onde ele justificou a frase. “Em momento algum eu quis ameaçar. Eu nem queria falar do Tim Lopes. O Tim Lopes é um ícone, e eu tava nervoso realmente, eu peço desculpas”.

O jornalista Rafael Fachin é de Bragança Paulista, formado em Radio e TV e em Jornalismo. Em Bragança ele trabalhou na Rádio O Caminho FM, TV Bragança, Inter TV e TV Perfil. Também passou pela TV Cultura e desde 2010 está na TV TEM, em Jundiaí.

José Francisco Mangolin teve uma casa noturna em Pinhalzinho na década de 80, cidade da sua esposa. Como engenheiro tem vários projetos assinados na região.

Tim Lopes

Tim Lopes foi um premiado jornalista da TV Globo, famoso por reportagens investigativas que denunciavam o tráfico de drogas nos morros cariocas. Tim Lopes foi brutalmente assassinado no dia 2 de junho de 2002, depois de entrar no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, onde faria uma reportagem sobre exploração sexual de adolescentes, em um baile funk.

As investigações indicaram que o crime foi praticado por traficantes.  O jornalista foi torturado, antes de ser assassinado e em seguida o corpo teria sido esquartejado e queimado, método usado para ocultar o cadáver e o crime.

Tim Lopes tinha 51 anos, era casado e tinha um filho de 19 anos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »