14/11/2018 às 15h18min - Atualizada em 14/11/2018 às 15h18min

Ex-primeira-dama pede cassação de vereador

Foto: Site Câmara de Lindoia
Vanessa Cristina de Souza Lopes protocolou na Câmara Municipal de Lindoia, na segunda-feira (12), pedido de cassação do vereador e líder do prefeito na Câmara, Rafael de Souza Pinto (PSB), por decoro parlamentar. Isso porque na sessão do dia 18 de outubro, ele se referiu a ela dizendo. “...Sr. Presidente, esse projeto, Sr. Presidente, foi trazido por uma ex-primeira-dama corrupta que participou da corrupção e que o senhor acobertou e, o senhor acobertou...”. 

A fala do vereador faz parte do documento que pede sua cassação.

Segundo Vanessa, ela estava na sessão porque havia ido levar um ofício a um vereador do seu partido, mas como havia uma discussão sobre o remanejamento de recursos da Prefeitura, o vereador Rafael teria achado que ela foi à Câmara para levar uma denúncia contra o atual prefeito. 

A advogada de Vanessa, Dra. Maíra Recchia, disse que o vereador extrapolou seus limites de liberdade de expressão. “Atacou a honra da denunciante chamando- a de corrupta”, disse ao completar. “Além da denúncia, protocolamos ainda uma ação de reparação de dano moral, já que a honra da senhora Vanessa foi gravemente ofendida”, disse.

O Jornal de Bragança e Região ouviu o vereador, que reafirmou as palavras ditas na sessão. “É corrupta mesmo. Participou de todas as corrupções que houve em Lidoia”, disse ao completar. “É uma denúncia política, picuinha política. Alí (Câmara), não dá cassação nem pra nós e nem pra eles. Ninguém tem voto para cassar ninguém”, disse o vereador ao afirmar que está tranquilo.
Vanessa negou as acusações do vereador e afirmou ao JBR que não há nenhum processo contra ela. 

A denúncia ainda não foi votada pela Câmara, pois, de acordo com o Técnico Legislativo, Michel Alex, o vereador Rafael não pode participar da sessão por ser parte interessada. Por isso, o suplente dele, Celso Donizete Honório (PSDB), já foi convocado. Em até dez dias ele deve tomar posse e, então a sessão extraordinária será marcada e a denúncia votada. “Após essa sessão, o vereador Rafael retoma suas atividades como vereador”, explicou Michel. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »