23/11/2021 às 10h33min - Atualizada em 23/11/2021 às 10h33min

Terceirizada da Saúde não paga salário de médicos e eles fazem paralisação

ilustrativa



Pacientes que foram às consultas na manhã desta terça-feira (23), encontraram os médicos nos Postos de Saúde, mas as consultas foram canceladas. Eles estão fazendo uma paralisação.

O motivo, segundo alguns médicos ouvidos pela jornalista Luci Miranda, do Jornal de Bragaça e Região e da Rádio O Caminho FM, é a falta de pagamento dos salários. Um deles disse que eles emitaram a nota fiscal referente aos serviços prestados em outubro, pagaram os impostos referentes a nota, mas não receberam. "O problema é que a empresa tercerizada, reposável por nossas contrações, terá o contrato encerrado com o município e, com isso, podemos ficar sem os salários de outubro e novembro", disse um médico, ao informar que pretedem voltar aos atendimentos normais assim que a Med Life efetuar o pagemento.

 O que diz a Prefeitura

 

A Prefeitura de Bragança Paulista, por meio da Secretaria de Saúde, emitiu uma Nota na manhã desta terça-feira, explicando o que vem ocorrendo " A Prefeitura informa que efetuou o repasse a Organização Social de Saúde Instituto Med Life no último dia 04 de novembro e até o presente momento a OS não fez o pagamento dos profissionais médicos da Atenção Primária, não honrando seu compromisso, ocasionando a paralisação por parte dos profissionais", diz a Nota que ainda pediu a compreensão dos usuários dos Postos de Saúde. 

 

"Solicitamos a compreensão dos usuários do SUS, pois, se faz necessário o cancelamento das consultas agendadas até a resolução da paralisação, devido ao baixo número de médicos nas unidades de saúde. Reforçamos que os atendimentos de urgência e emergência nas UPAs seguem normalmente".

 

Ainda de acordo com a Nota, a Secretaria de Saúde está empenhada junto ao jurídico da Prefeitura para resolver o quanto antes esse problema, a fim de preservar os direitos dos profissionais médicos da OS que prestam serviços à Municipalidade e não deixará de adotar todas as medidas administrativas e judiciais cabíveis para o cumprimento do contrato.

Até as 10h40, o Jornal de Bragana e Região não  havia conseguido contato com a Med Life, mas o espaço está aberto às suas manifestações.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »