16/09/2015 às 21h57min - Atualizada em 16/09/2015 às 21h57min

Prefeitos de Atibaia e Pinhalzinho são acusados de pedir propina a empresário

Suplente de vereador de Bragança também é acusado

Saulo Pedroso, Magrão e Marco Antonio Leitão (Foto: JBR/Facebook)


O prefeito de Atibaia, Saulo Pedroso (PSD), o prefeito de Pinhalzinho, Anderson Luis Pereira, o Magrão, (PV), e o suplente de vereador de Bragança Paulista, Marco Antonio Leitão Xavier, estão sendo investigados pela Justiça, acusados de exigirem vantagem indevida, em dinheiro, a Dario Sanches Manha, dono do prédio que hoje abriga o Fórum da cidade de Atibaia.

O pedido de propina teria ocorrido durante a transação de locação do imóvel. Até segunda-feira, dia 14, a ação corria em segredo de justiça, o que foi derrubado após pedido do advogado do vereador de Atibaia, Jorge Luis de Jesus (PROS), de um outro advogado, também de Atibaia, Cleber Stevens Gerage e do próprio Ministério Público do Estado de São Paulo.

A denúncia de possível ato de corrupção foi feita pelo Juiz Diretor do Fórum de Atibaia, Dr. José Augusto Nardy Marzagão. O Jornal de Bragança e Região conversou com ele, mas como na data da entrevista o processo ainda estava em segredo de justiça, o juiz disse que não poderia se manifestar. No segundo contato, na terça-feira, 15, após a quebra do segredo de justiça, Marzagão disse ao Jornal de Bragança e Região que falará, mas somente depois de ter acesso ao conteúdo do processo.

Já a advogada do proprietário do imóvel, Fernanda Carletto, disse ao Jornal de Bragança e Região, que seu cliente prestou depoimento há cerca de cinco meses no Ministério Público de Atibaia, quando negou que tenha recebido pedido de propina. “Ele foi surpreendido com essa notícia. Ninguém exigiu ou pediu nada a ele, nem por telefone, nem pessoalmente, de modo nenhum. E foi isso que ele declarou.”, disse a advogada ao frisar que o valor do aluguel firmado foi, inclusive, abaixo do valor do mercado. Ela acrescentou ainda que o depoimento do seu cliente ao MP, foi na qualidade de testemunha e não como parte envolvida. 

O advogado de Marco Antonio Leitão Xavier, Jocimar Bueno do Prado, disse que a denúncia não procede e que seu cliente não pediu propina a ninguém. Na versão do advogado, Marco Leitão ficou sabendo pela imprensa que o Fórum de Atibaia procurava um novo prédio. Sabendo que o empresário Dario tinha um imóvel em Atibaia, ele fez a intermediação. “Ele pediu ao Magrão (prefeito de Pinhalzinho) que entrasse em contato com o prefeito de Atibaia pra ver se havia interesse, e houve”, contou.

Ainda segundo o advogado, o que aconteceu foi um pedido dos prefeitos Saulo e Magrão para que Marco Leitão estreitasse a relação deles com o empresário.“O que os prefeitos de Pinhalzinho e Atibaia pediram à ele (Marco) é que eles gostariam de ter um estreitamento de relacionamento com o empresário para um futuro apoio político, mas não teve nada a ver com pedido de propina”, reforçou.

O Jornal de Bragança e Região entrou em contato com os prefeitos Saulo e Magrão, mas não obteve retorno. O espaço continua à disposição.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »