11/02/2015 às 13h38min - Atualizada em 11/02/2015 às 13h38min

Falta constante de energia elétrica prejudica moradores de Pinhalzinho

Consumidores podem denunciar problema a Agência Nacional de Energia Elétrica

Foto: JBR

A queda frequente de energia elétrica em Pinhalzinho tem sido motivo de reclamações de muitos moradores. Uma moradora do bairro Vale Encantado, contou ao Jornal de Bragança e Região que a interrupção de energia já lhe rendeu prejuízos, como a perda de eletrodomésticos. Além disso, ela relata que quando o problema demora para ser solucionado, ai vem o prejuízo também com os alimentos que estragam por falta de refrigeração.

O mesmo problema enfrenta Romero Benning, dono de uma chácara no bairro Araras dos Lucas, que contou que no dia 30 de janeiro, ele e uma vizinha, ficaram sem energia por mais de 9 horas seguidas (das 23h50 até às 9h30 do dia seguinte). “Ligamos e relatamos o problema, mas a equipe só veio no dia seguinte e só depois que eu, pessoalmente, fui até a Empresa em Pinhalzinho e fique lá esperando até eles virem comigo”, disse.

A vizinha dele, Margarete Regina, contou que a queda de energia é frequente, o que causa sérios transtornos, pois sempre tem criança na casa.“Minha sobrinha de três anos, ainda mama e o leite tem de ficar na geladeira e, além disso, só dorme com abajur ligado. Não da pra ficar tanto tempo sem energia”, desabafou.

Apesar das reclamações e dos relatos dos moradores, a Empresa Elétrica Bragantina (Grupo Energisa), responsável pelo fornecimento de energia em Pinhalzinho, não atribui o problema a falhas no sistema de distribuição ou a falta de investimentos. Segundo o gerente de Manutenção da Transmissão da Bragantina, Fernando Casari, as interrupções de energia podem ser acidentais, causadas por queda de árvores ou galhos sobre a rede, ou outros objetos que acabam provocando danos em equipamentos da rede de distribuição, rompimentos de cabos e outras anomalias. “Os desligamentos acidentais em Pinhalzinho, nos últimos cinco meses, foram todos pontuais e causados por chuva, ventania ou raios”, disse Casari.

Quanto à demora no religamento, principalmente na zona rural, o gerente diz que “o problema é a dificuldade de acesso e de execução de serviço devido à localização geográfica das redes”. Ele orientou que os consumidores devem ficar atentos também ao desligamento programado. Os dias, locais e horários podem ser checados no site: bragantina.com.br

Rede Bragantina

Em 2012 a Rede Bragantina acumulava dívidas que chegaram a R$ 6 bilhões, houve intervenção da ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica e a Energisa acabou assumindo a Bragantina. Na época, segundo reportagem da revista Exame, ex-executivos do grupo diziam que a situação prejudicava os investimentos operacionais necessários para melhorar ou no mínimo manter a qualidade dos serviços e que as empresas do Rede têm os piores indicadores de qualidade do país, segundo a ANEEL. A reportagem está disponível na internet com a manchete. “Dono do Rede Energia deu o maior calote da história” (exame.abril.com.br).

Nota do JBR

De acordo com a ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, a distribuidora de energia, no caso a Bragantina, deve informar os consumidores através da conta, o tempo total, em horas, em que a unidade ficou sem energia, a quantidade de interrupções registradas e a duração máxima, em horas, de interrupção continua. Essas informações servem para que o consumidor saiba se a falta de energia em sua unidade está ultrapassando o limite previsto. Aqueles que se sentirem prejudicados pela constante falta de energia podem ainda comunicar a ANEEL, ligando para o número 167 (de segunda à sexta-feira, das 8h às 22h) ou pelo site: www.aneel.gov.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »