22/03/2017 às 11h42min - Atualizada em 22/03/2017 às 11h42min

“Bom Jesus” não é UPA, diz médico vereador

Foto: Jornal + Bragança


Apesar de ter sido inaugurado como sendo uma Unidade de Pronto Atendimento – UPA 24h, o “Bom Jesus”, não é uma UPA, de acordo com a afirmação do vereador Dr. Claudio Duarte Pereira (PMN), que mesmo sendo da base aliada do prefeito Jesus Chedid (DEM), não poupou críticas à Unidade de Saúde.

 A inauguração é recente, foi no dia 31 de janeiro e no local foi colocada, inclusive, uma placa escrito UPA 24h, que traz também os nomes do Ministério da Saúde, SUS e Governo do Estado. 

Mas Dr. Claudio foi enfático ao afirmar que o “Bom Jesus” não se caracteriza como uma UPA, já que não tem atendimentos que uma UPA deve ter. “Não tem raio-x, não tem exames laboratoriais, não temos leitos de internação, portanto ela não se enquadra em porte nenhum em relação a uma UPA. Ela não se caracteriza como uma UPA. Aliás, aquela fachada deveria ser tirada de lá”, frisou.
O Jornal de Bragança e Região entrou em contato com o vereador e perguntou se, então, em Bragança só existe uma UPA, a da Vila David, inaugurada pela Administração passada. “Exato”, disse Dr. Claudio ao completar. “Até que o Bom Jesus se adeque às exigências do Ministério da Saúde”.

O JBR ligou no “Bom Jesus” e a recepcionista atendeu dizendo. “Ambulatório de Especialidades”. Questionada apenas sobre um procedimento, o raio-x, a atendente disse que o aparelho está quebrado e disse que no caso de ser necessário fazer esse exame, o paciente deve ir à Upa 24h da Vila Davi.

O Jornal de Bragança e Região solicitou uma entrevista com a secretária de Saúde, mas Marina de Oliveira estava em uma reunião na cidade de Santos e não pode atender. A assessoria de imprensa informou que uma data próxima será marcada. 

“Aberração”
Na mesma sessão, no dia 14, Dr. Claudio contou que uma senhora o procurou em seu gabinete na Câmara, relatando que chegou ao “Bom Jesus” com a filha, de um ano e meio, com febre e que, durante a triagem, a médica solicitou exames de hemograma e urina. “O sangue foi colhido e a urina não. E mesmo assim chegou o resultado da urina, portanto aquele exame não era daquela criança. Chega a ser uma aberração”, disse indignado ao citar uma frase em latim, usada na medicina. (non monseri), que significa “Não piore”, a situação dos pacientes. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »