21/10/2020 às 21h32min - Atualizada em 21/10/2020 às 21h32min

Energisa e Unesco distribuem cestas básicas a famílias vulneráveis

Foto: Assessoria Energisa


A fome afeta mais de 10 milhões de brasileiros, segundo dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O cenário pode ser muito pior se levarmos em conta o período da pandemia e também do pós-pandemia do novo coronavírus. E com o objetivo de contribuir com milhares de famílias, a Energisa SulSudeste e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) se uniram e iniciaram  a distribuição de 360 cestas básicas, para atender a 120 famílias por três meses, em Bragança Paulista.

A  distribuição das cestas está sendo realizada pela equipe do Espaço de Convivência e Aprendizado (ECOA), organização selecionada pela UNESCO para a iniciativa. A ação humanitária emergencial de combate a fome integra o movimento Energia do Bem, iniciativa liderada pela Energisa, que destinou R$ 8 milhões a diversas frentes de combate à pandemia de Covid-19 em todo o país.

O projeto conta com o apoio de organizações da sociedade civil e de lideranças comunitárias locais selecionadas pela UNESCO. Desta forma, a ação conjunta atinge um maior número de pessoas com elevado índice de vulnerabilidade social e econômica em razão da pandemia.

 Juntas, as entidades identificaram os grupos afetados pela crise e, em seguida, montaram as cestas com alimentos adquiridos em estabelecimentos comerciais locais. Além de beneficiar as famílias durante três meses, a iniciativa ajuda a movimentar a economia das cidades e dos bairros atendidos. “Neste momento adverso, além de fornecer energia elétrica com qualidade, temos o compromisso adicional de apoiar as comunidades mais necessitadas. Essa é mais uma importante iniciativa da Energisa que contribuirá com diversas famílias”, afirma Gabriel Alves Pereira Junior, diretor-presidente da Energisa Sul-Sudeste.  

 Ao longo da iniciativa, a UNESCO realizará um diagnóstico socioeconômico das famílias atendidas para identificar os impactos da pandemia sobre elas. No levantamento, serão analisados indicadores sociais como segurança alimentar e nutricional, vulnerabilidade à violência, trabalho e renda, e expectativas no póspandemia.

 “O mundo está desafiado pela pandemia da covid-19. E com isso, torna-se necessário que coordenemos ações de solidariedade e de engajamento para minimizar os efeitos da pandemia, principalmente nos grupos mais vulneráveis. Estamos muitos felizes com essa parceria com a Energisa. Nosso objetivo é apoiar aqueles que mais precisam, como famílias e comunidades que foram afetadas durante essa crise, além de contribuir com as organizações da sociedade civil e lideranças comunitárias na distribuição de alimentos e produtos de higiene”, diz Marlova Noleto, diretora e representante da UNESCO no Brasil.

A parceria da Energisa com a UNESCO no combate aos efeitos da pandemia começou no lançamento do Movimento Energia do Bem. A organização fez a curadoria de conteúdos para o portal www.movimentoenergiadobem.com.br, incluindo materiais de domínio público de sua biblioteca digital. Os interessados também encontram acesso para a Biblioteca Mundial Online da instituição e para outros projetos como Educamídia (de educação midiática), Maré de Ciência e curso virtual das Nações Unidas sobre mudanças climáticas.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »